O COMPLIANCE NAS EMPRESAS E A FIXAÇÃO DA CULTURA DE INTEGRIDADE PELO “TONE AT THE TOP”.

14 de Maio de 2019

Por: Rodrigo Pironti Aguirre de Castro.

O primeiro passo para a eficiência de um Programa de Integridade é o comprometimento da Alta Administração desde a sua implantação até sua manutenção e monitoramento contínuo. O conceito de “Tone at the Top” deve ser explícito e visível para todos que se relacionam com a empresa.

O Programa de Integridade consiste, resumidamente, no desenvolvimento e criação de políticas, processos, procedimentos e treinamentos que direcionem a forma de agir dos gestores, colaboradores e partes interessadas (fornecedores, terceirizados, parceiros de negócios, entre outros).

As capacitações e treinamentos possuem intuito de promover o comportamento ético, apresentar as políticas internas, os canais de comunicação entre a empresa e seu público, bem como incentivar a prática de denúncias de desvios de conduta.

Entretanto, a credibilidade do Programa de Integridade está intrinsicamente vinculada ao exemplo prático de seus gestores, tendo em vista que de nada vale a capacitação e treinamento quando a Alta Administração não demonstra interesse no tema e suas atitudes não se coadunam com o conteúdo das normas da entidade, seus valores e os treinamentos ministrados.

Segundo determina a ISO 19.600/14, “um compliance eficaz requer um comprometimento ativo do órgão de controle e da Alta Administração, que permeie toda a organização” e de acordo com a DSC 10.000/15 “a cultura do Compliance deve permear a organização através do exemplo de seus dirigentes e atingir todos os níveis hierárquicos por meio de atitude a ações da chefia”.

Para que um Programa de Integridade possua engajamento, e consequentemente sucesso em suas atividades, se faz necessário que os gestores da organização reflitam exemplos de conduta ética em sua atuação profissional, de acordo com os valores da Entidade e com as normas que a permeiam.

O decreto regulame            ntador da Lei Anticorrupção, determina ainda que, para fins de reduções às sanções previstas na Lei Anticorrupção, será considerado como um dos critérios de avaliação de existência e aplicabilidade do Programa de Integridade o “comprometimento da alta direção da pessoa jurídica, incluídos os conselhos, evidenciado pelo apoio visível e inequívoco ao programa”.

Portanto, os discursos, pronunciamentos da Alta Administração e os comunicados institucionais devem demonstrar a relevância do Programa de Integridade e a importância que a estatal confere ao comportamento íntegro e ético em suas relações.

Tendo em vista a previsibilidade de alteração do corpo diretivo da empresa, salutar que o patrocínio da Alta Administração seja formalizado nos documentos institucionais da organização, preferencialmente àqueles que necessitem de quórum para aprovação de alterações.

Desta forma, as atividades de compliance serão realizadas com mais segurança, uma vez que os documentos constitutivos, planos estratégicos e orçamentários e regulamento interno das empresas viabilizam os procedimentos do Programa de Integridade e, portanto, eventuais alterações na cúpula diretiva não justificarão mudanças drásticas em suas diretrizes.

Dispositivos normativos que versem sobre o Programa de Integridade e sua estrutura são importantes não somente para difundir o posicionamento da Alta Administração em relação ao Programa de Integridade, mas também para sedimentar as demais políticas e procedimentos de compliance que devem ser instituídos no âmbito das empresas.

Assim, a expressão “tone at the top”, que significa o engajamento da Alta Administração da organização, ganha contornos ainda mais relevantes na estruturação de um programa efetivo de compliance, pois para além de conformar o necessário exemplo dos mais altos níveis de hierarquia, também tem o condão de perenizar a cultura de compliance na empresa, conduzindo suas atividades a uma normalidade ética e relacional.

COMPARTILHE:
Cadastre seu comentário

1 Comentário

Joyce Luduvice - 24/05/2019 - 07:26

Gostei muito!

Resposta ao seu comentário:

Muito obrigado, Joyce!

Continue acompanhando o blog!

Um abraço,

Rodrigo Pironti


Consultor: Rodrigo Pironti Aguirre de Castro - 24/05/2019 - 13:24
14 de Abril de 2021
A IMPLANTAÇÃO DE PROGRAMA DE COMPLIANCE E DE PROTEÇÃO DE DADOS E A POSSIBILIDADE DE CREDITAMENTO DOS CRÉDITOS DE PIS/COFINS.
leia mais
01 de Março de 2021
BREVE ENSAIO SOBRE O ENCARREGADO DE DADOS (DATA PROTECTION OFFICER - DPO) E A ESTRUTURA RESPONSÁVEL PELO SISTEMA DE PROTEÇÃO E PRIVACIDADE DOS DADOS NO BRASIL.
leia mais
26 de Janeiro de 2021
HÁ VACINA CONTRA O PATRIMONIALISMO? O COMPLIANCE, A TERCEIRA LEI DE NEWTON E A CULTURA DO “JEITINHO” QUE ANIQUILA DIREITOS FUNDAMENTAIS NO PAÍS.
leia mais
23 de Dezembro de 2020
2021: O ANO DA LGPD E DO COMPLIANCE.
leia mais
22 de Outubro de 2020
GRAU DE RISCO DE INTEGRIDADE (GRI): A NECESSIDADE DO RESPEITO À CONSTITUIÇÃO PARA A LEGALIDADE DA EXIGÊNCIA.
leia mais
22 de Setembro de 2020
OS REFLEXOS DA VIGÊNCIA DA LGPD: A “VIRTUAL” PREOCUPAÇÃO COM AS SANÇÕES PELA ANPD E O REAL EXERCÍCIO DO CONTROLE EXTERNO PELOS ÓRGÃOS COMPETENTES
leia mais
Sabe o que podemos fazer por sua empresa ou órgão público?
Compliance integral.
6
CARREGAR MAIS ARTIGOS
Parceria: Grupo JML . jml corporate school . Apoio científico: pironti Advogados
Utilizamos cookies (e/ou tecnologia de rastreamento de dados) para saber como você interage com nosso Portal (Sites de serviços online, Hotsites e Landing Pages). Usamos esta informação para melhorar sua experiência e para metrificar visitantes. Para entender mais sobre o que utilizamos, veja nossas Políticas de Privacidade de Dados: Política de Privacidade e Política de Cookies.
ACEITAR