O COMPLIANCE AMBIENTAL NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. VISÃO GERAL.

02 de Dezembro de 2019

Por: Caroline Rodrigues da Silva.

O compliance tem sido tema recorrente na Administração Pública, ganhando espaço na legislação, na doutrina, na academia e nas reuniões estratégicas da alta administração. Nesse momento denota-se que estão sendo descortinadas todas as suas aplicações. No presente texto veiculamos as linhas gerais sobre o compliance ambiental.  

Inicialmente releva pontuar que as entidades e órgãos da Administração Pública, direta ou indireta, assim como entidades integrantes do Sistema S, que estão alinhadas com a ideia da compliance ambiental são aqueles que se preocupam em seguir a legislação ambiental que lhe é aplicável e minimizar os impactos ao meio ambiente com suas atividades. Além disso, essas organizações se preocupam em utilizar princípios éticos para a tomada de suas decisões e para o desenvolvimento de suas atividades. Muitas empresas estatais estão inseridas em atividades que implicam em impactos ambientais relevantes e, por isso mesmo, sujeitas a controles e regulações ambientais.

A administração pública direta e as estatais ainda contam com determinações da legislação no que se refere às suas contratações. Tanto a Lei 8.666/93 como a Lei 13.303/16 (estatuto jurídico das estatais) estabelecem a necessidade de atender ao princípio do desenvolvimento sustentável nas licitações, em suas dimensões ambiental, social e econômica. Aos órgãos e entidades federais, submetidas ao Decreto 10.024/19 (que regulamenta a modalidade pregão em sua forma eletrônica), acrescenta-se ainda a dimensão cultural à sustentabilidade. Tal princípio que apresenta uma série de implicações às decisões de gestão no que se refere às etapas da contratação.

A Lei das estatais ainda prevê que a vantajosidade da proposta será definida pelo ciclo de vida do objeto e ainda determina a necessidade de observância, no artigo 32, §1°, de uma série de políticas socioambientais, como a Política Nacional de Resíduos Sólidos, a Política Nacional de Mudanças Climáticas, o procedimento de licenciamento ambiental, a legislação urbanística, proteção ao patrimônio cultural, histórico, arqueológico e imaterial e atenção à acessibilidade.

Desse modo, registra-se que o compliance ambiental busca a conformidade com a legislação socioambiental, adequando as práticas da administração, e serve também como instrumento de formação de uma cultura de integridade sustentável.

COMPARTILHE:
Cadastre seu comentário
28 de Janeiro de 2020
A NECESSIDADE DE GERENCIAMENTO DE RISCOS NAS ENTIDADES DO SISTEMA S, SEGUNDO RECOMENDAÇÃO DO TCU
leia mais
01 de Julho de 2019
PROCESSO DE GERENCIAMENTO DE RISCO NAS ESTATAIS
leia mais
24 de Junho de 2019
COMPLIANCE NAS ESTATAIS
leia mais
17 de Junho de 2019
GESTÃO DE RISCOS QUE ATENDA À LEI 13.303/16
leia mais
03 de Maio de 2019
PRECISAMOS FALAR SOBRE GESTÃO DE RISCOS NAS CONTRATAÇÕES DAS ESTATAIS - PARTE V: RESPOSTAS AOS RISCOS PARA A ELABORAÇÃO DA MATRIZ DE RISCOS.
leia mais
03 de Maio de 2019
PRECISAMOS FALAR SOBRE GESTÃO DE RISCOS NAS CONTRATAÇÕES DAS ESTATAIS - PARTE IV: ESCALAS DE IMPACTO E PROBABILIDADE DOS RISCOS.
leia mais
Sabe o que podemos fazer por sua empresa ou órgão público?
Compliance integral.
6
CARREGAR MAIS ARTIGOS
Parceria: Grupo JML . jml corporate school . Apoio científico: pironti Advogados
Utilizamos cookies (e/ou tecnologia de rastreamento de dados) para saber como você interage com nosso Portal (Sites de serviços online, Hotsites e Landing Pages). Usamos esta informação para melhorar sua experiência e para metrificar visitantes. Para entender mais sobre o que utilizamos, veja nossas Políticas de Privacidade de Dados: Política de Privacidade e Política de Cookies.
ACEITAR